• SIGA O JUSCELINO NAS REDES

Inpe mostra aumento recorde no desmatamento da Amazônia em outubro de 2021

Após a afirmação do ministro da COP26 de que o “futuro verde do Brasil já começou” houve controvérsias obtendo um aumento de 5% no desmatamento da Amazônia comparado com os dados do ano passado. Números esses, divulgados neste dia 12 sexta-feira pelo Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostrando que tem uma área inteira de 877 km² em alerta de desmatamento dentro da Amazônia Legal. É englobado mais de oito estados do País como o Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e boa parte do Maranhão, a Amazônia Legal possui cerca de 59% do nosso território.

Árvores desmatadas (Foto: Reprodução/Nelson Almeida/AFP/Correio Braziliense)

Deter – O Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real foi quem transmitiu os alertas de desmatamento encontrados pelo Inpe em que mostra as alterações nas áreas desmatadas por queimadas, por exploração de madeira e pelas mineradoras. A situação precária da Amazônia tem sido totalmente ignorada pelo povo brasileiro, porém o país faz a promessa de encerrar de uma vez por todas a devastação continua que causa sofrimento em nossas florestas de forma cruel. Além de, os dados não demonstrarem nenhuma vontade do Governo de cumprir essas metas estabelecidas pela COP26. “As emissões acontecem no chão da floresta, não nas plenárias de Glasgow” – O secretário-executivo Márcio Astrini do Observatório do Clima faz comentário.

https://lorena.r7.com/post/Pesquisa-realizada-pelo-Banco-Mundial-aponta-corrupcao-no-Servico-Publico-Federal
https://lorena.r7.com/post/13-pessoas-sao-levadas-ao-hospital-apos-desabamento-de-predio-na-Turquia
https://lorena.r7.com/post/Momentos-antes-do-acidente-aereo-fas-receberam-ligacao-surpresa-de-Marilia-Mendonca

O Observatório do Clima relata: “Em casa, porém, é que reside o tal ‘Brasil real’ de que tanto fala o ministro Joaquim Leite: um país que desmontou as políticas de combate ao desmatamento, maior causa de emissões de gases de efeito estufa, que gastou centenas de milhões de reais em operações militares inócuas e que tem ao menos cinco projetos de lei no Congresso que anistiam o roubo de terras, acabam com o licenciamento ambiental e ameaçam as terras indígenas, barreiras mais eficazes contra a devastação”. O Brasil faz promessas de cumprir objetivos de redução até 2024 de 15%, entre os anos de 2025 e 2026 de 40% e em 2027 50%, já em 2028 deseja zerar todo o desmatamento ilegal conforme as etapas de Joaquim Leite, o Ministro do Meio Ambiente.

Foto Destaque: Desmatamento recorde na Amazônia. Reprodução/Infoglobo/O Globo

Por R7

0 Comentários

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.

Inscreva-se

Receba as últimas notícias do Blog do Juscelino